Padre é morto na Nigéria após celebrar missa na noite de Natal

O padre da diocese de Abeokuta, Nigéria, padre Luke Adeleke, de 38 anos, foi morto na noite de 24 de dezembro, véspera de Natal, quando voltava para casa após celebrar a Missa do Galo.

A porta-voz do Comando da Polícia Estadual, Abimbola Oyeyemi, confirmou a morte do padre e comentou que o incidente ocorreu em Ogunmakin, onde o padre havia celebrado a missa.

“Os policiais atiraram nos homens armados. Alguns escaparam com ferimentos a bala”, acrescentou.

A morte do padre Adeleke é a mais recente de uma série de ataques que parecem ter como alvo o clero e os cristãos da Nigéria desde 2009, quando começou a insurgência do grupo radical muçulmano Boko Haram para converter o país em um Estado Islâmico.

Na segunda-feira, 6 de dezembro, o padre Joseph Ajayi, de 49 anos, da diocese católica de Ondo, foi sequestrado na rodovia Akure-Ikere. A comunidade local pede orações por sua libertação.

No dia 13 de outubro, o padre Mark Chimezie Godfrey foi sequestrado na diocese de Umuahia, na Nigéria, durante a manhã, após celebrar a missa na paróquia de São Gabriel, bem perto de sua casa.

Depois de 10 dias, o padre Godfrey foi libertado sem evidências de violência. O bispo de Umuahia, dom Lucius Iwejáru Ugorji, afirmou que o regresso seguro do padre era a resposta de Deus às “nossas orações”.

Em 11 de outubro, um grupo de homens armados atacou o Seminário Maior Cristo Rei da diocese de Kafanchan e sequestrou três seminaristas, que foram libertados dois dias depois.

Em dezembro de 2020, o bispo auxiliar da arquidiocese de Owerri, dom Moses Chikwe, foi sequestrado e também libertado ileso.

Em 7 de outubro, líderes cristãos de várias denominações na parte sudeste da Nigéria se disseram preocupados com o aumento da insegurança e da violência na região e argumentaram que parte da Nigéria estava caindo na anarquia.

Fonte: www.acidigital.com

X