Inauguração da Decoração de Natal marca o 1º Domingo do Advento

Na Celebração Eucaristica, do 1° Domingo do Advento (28 de novembro), no Santuário de Vila Velha, aconteceu o acendimento das luzes de Natal! A Santa Eucaristia foi presidida, por Frei Clarêncio Neotti, que já no início da celebração brindou a todos com uma belíssima explicação do por que de 4 Velas, dos 4 Domingos do Advento, fazendo uma alusão às 4 estações do ano e aos 4 elementos, todas essas coisas convergem e apontam para algo muito maior, o nascimento do Menino Deus. “A totalidade na espera da totalidade”, explanou o celebrante.

A primeira Vela do Advento, foi acendida pelos coroinhas, que entraram com a luz, cantando e implorando que a Luz do Senhor viesse sobre a terra, iluminando a todos os presentes. De um modo muito simples, algumas grávidas que estavam presentes na Igreja, se puseram ao lado da Coroa do Advento e da representação de uma Nossa Senhora Grávida, que compunha o nicho das velas!

Por que a árvore acompanha o presépio?

Frei Clarêncio, disse que antes da benção do Presépio, gostaria de falar o porquê de o presépio sempre ser acompanhado por uma árvore: “A primeira árvore é o paraíso, Adão e Eva, comeram do fruto do bem e do mal, por isso foram expulsos do Éden, pois não eram merecedores da Imortalidade!” No Natal, é Jesus o próprio Deus, que retira a maldade, que chamamos de pecado; retira o peso da separação e da divisão e dá a criatura humana a imortalidade! Jesus veio exatamente para que nos tornássemos imortais. Está árvore, simboliza sim, a do paraíso, da morte, mas acima de tudo, o Natal que Jesus.

A segunda árvore é a da cruz. Jesus foi pregado na árvore da cruz, e seu sangue derramado lavou o pecado. Da árvore da cruz, veio para nós a imortalidade; é um grande mistério que da morte de Jesus nasce a imortalidade, e a Páscoa é a garantia disso. Por isso nós no Natal, colocamos uma árvore, não só para lembrar do paraíso, mas a da cruz, para nos recordar que ganhamos a imortalidade.

A terceira árvore se encontra no final do livro do Apocalipse. Se formará a Jerusalém celeste, haverá lá um rio, e no meio do rio uma árvore que produz frutos o ano todo, e as suas folhas curam todas as doenças. “E isso que é o Natal, um Deus feito homem. Deus conosco, nós podemos produzir frutos os 12 meses do ano”, finalizou ele!

Terminando suas palavras, embalado pelo coral dos coroinhas, Frei Clarêncio, deu a benção no presépio e na decoração e grandiosamente as luzes se acenderam.

A decoração deste ano é composta da seguinte forma: cinco árvores, sendo duas maiores e as outras três menores. Um presépio feito de modo artesanal, simples e singelo como o Menino Deus!

A visitação da decoração, acontece todos os dias de segunda a sexta o dia todo, e no final de semana nos horários das missas. Venha prestigiar e rezar!

X