Movimento Familiar Cristão Capixaba – 60 anos de evangelização

O Movimento Familiar Cristão nasceu a exatamente 65 anos, com o apoio do Fundador do movimento padre Pedro Richards e dom Helder Câmara. O movimento cresceu e vem fortalecendo laços familiares por todo o Brasil. Está presente nos cinco continentes, e no Brasil está presente em 19 unidades da federação com mais de 30 mil famílias engajadas no trabalho pela família no Reino de Deus. Formado por culturas e ideias diferentes, por pessoas diferentes, com um único objetivo: a Família.

Na Arquidiocese de Vitória o movimento chegou há 60 anos, exatamente no dia 30 de abril de 1960, com o casal Jair e Laurita Dessaune, juntamente com dom Geraldo Lyrio Rocha, dom João Batista da Mota e Alburquerque. No início teve como orientador espiritual o padre Salesiano, Brás Carnielli quem fez prosperar o movimento por todo o estado do Espírito Santo. Hoje tem como orientador espiritual o Padre Salesiano Adenilson Lopes Martins.

“O Movimento Familiar Cristão tem uma incidência bonita no Estado desde 1960, ajudados por dois grandes pastores dom João Batista e dom Geraldo Lyro Rocha. Essa ajuda espiritual, serviu de base para que o movimento pudesse chegar onde chegou. O Movimento Familiar Cristão no Espírito Santo, tem em seus registros mais de 300 famílias trabalhando pelo Reino de Deus. O movimento tem uma devolutiva muito bonita socialmente falando, tem a incumbência, de estar sempre auxiliando pessoas que estão ao seu redor. Atende diversos projetos sociais. Na Arquidiocese, ele contribuiu fortemente, para a criação ou para com sua ajuda na criação da Pastoral Familiar”, relata padre Adenilson Lopes.

O movimento é de natureza laica e ecumênica, e sendo ecumênico, tem uma incidência que em muitos momentos, outros movimentos tradicionais da Igreja não conseguem chegar.

 “Esse diálogo ecumênico, é um grande desafio, mas é também um grande presente para a Igreja. Essa capacidade de acolher primeiro no seu núcleo as pessoas de outras referências vêm ao encontro com a proposta do nosso pastor maior o Papa Francisco quando nos convida a sair de fato dos nossos guetos, sair de fato dos nossos mundinhos ir ao encontro de quem precisa. Celebrando 65 anos, é uma grande alegria para mim acompanhar de perto o movimento com propósito tão nobres e com uma proposta tão atualizada, que é a que estamos vivenciando com o Papa Francisco”, comenta o diretor espiritual do movimento, padre Adenilson Lopes.

As reuniões seguem o método participativo, libertador e transformador da sociedade, cabendo a cada membro colocar, a serviço do grupo, todos os seus dons. O MFC enaltece a importância do amor e da presença de Deus na vida das famílias.

João de Amaral e Tereza Maria casados a 48 anos, fazem parte do MFC há 40 anos. “O movimento contribuiu para a melhora na vivencia familiar”.

“ O MFC teve uma importância muito grande na nossa vida, a nossa convivência familiar foi muito melhorada com os ensinamentos, com as reuniões, com a proposta oferecida pelo MFC. E nós podemos dessa forma criar a nossa família num ambiente de harmonia, de compreensão e de amor. A nossa igreja doméstica, formada através do MFC, e da nossa família é tudo para nós. Agradecemos a Deus por tudo isso, por esse benefício, que o MFC trouxe para nós”, nos conta o casal.

O MFC é para família,e uma família que está presente nos momentos que onde muitas vezes ninguém aparece. Como foi o caso da Vilma de Castro que experimentou um pouco da família Mefescista.

“17 anos que pertenço a família Mefecista. Entrei para o MFC junto com o marido, em junho de 2003, no dia 24 de julho desse mesmo ano meu marido partiu para junto de Deus. Foi muito difícil ficar sem o pai dos meus filhos. Eu entrei numa depressão profunda, mas a família Mefecista me acolheu de braços abertos me levou para conviver com eles. Com o passar do tempo, eu entrei para a pasta da espiritualidade e frequentando as reuniões e os encontros e aquelas coisas alegres, tudo de bom que tem o MFC, para nos oferecer, a alegria voltou nunca mais fiquei tão triste como aquela ocasião”, relata Vilma, viuva, de 82 anos.

Muitos são os frutos do movimento nesse tempo. Os testemunhos, o amor e a gratidão ao movimento vem de todos os seus participantes. Veja no vídeo um pouco mais dos testemunhos dessa família Mefecista.